Dicas de economia doméstica

Você sabe qual é a regra número 1 para viver com tranquilidade financeira? A regra é simplesmente gastar menos do que ganha.

É tão simples que às vezes dá até raiva. As pessoas podem dizer: “Isso é muito simples. Por que você está escrevendo um artigo para falar sobre isso?”

Mas vou te explicar porque essa regra é básica, porque você não consegue fazer isso (por mais simples que seja) e ainda darei 3 dicas para mudar esse cenário. Estou escrevendo essa postagem para te dar uma dica muito simples.

Serão, na verdade, três dicas absolutamente poderosas para você mudar sua vida financeira. Se você quer ter tranquilidade e estabilidade financeira, você precisa gastar menos do que ganha – simples assim.

Por mais ridícula (e até idiota) que essa dica possa parecer, ela é a base do sucesso financeiro. Temos mais de 60% da população endividada no país porque as pessoas não fazem o mais básico em relação ao dinheiro, que é gastar menos do que ganha.

Com isso, surgem uma série de reclamações e desculpas para justificar esse fato: “os juros são muito altos”, “já vivo com o mínimo necessário”, “já analisei meu orçamento eu não encontro onde ele possa ser diminuído”, “todo mês eu gasto tudo o que eu ganho e às vezes até um pouco mais e tenho que usar o cartão de crédito”.

Esses (e outros) maus hábitos financeiros levam ao endividamento. Isso gera uma vida financeira não muito próspera, cheia de incômodo e estresse, causando vários problemas todos os meses. O básico é gastar menos do que ganha…mas como fazer isso?

Dicas para gastar menos

A dica número 1 é anotar todos os seus gastos nos próximos 30 dias. Faça isso da forma mais simples possível, usando papel e caneta ou o aplicativo para notas no celular. Depois desses 30 dias você terá um Raio-X da sua vida financeira. Assim, você poderá analisar todos os seus gastos e, com isso, encontrar onde estão os vazamentos do seu orçamento.

Essa análise vai deixar claro quanto você está gastando comendo fora de casa, de supermercado, combustível, transporte… Às vezes fazemos cálculos mentais e achamos que gastamos “somente 100 reais comendo fora de casa”, mas quando colocamos na ponta do lápis, talvez vejamos que é 200. Talvez o mesmo aconteça com combustíveis e outras coisas. A partir daí você poderá saber onde você pode reduzir um determinado gasto ou até mesmo eliminá-lo – talvez você veja que ele não é tão essencial e que causa um impacto muito grande na sua vida financeira.

Portanto, durante os próximos 30 dias, anote todos os seus gastos.

A dica número 2 é pagar a si mesmo primeiro. Pense no que acontece quando você ganha seu dinheiro todos os meses: o dinheiro cai na sua conta e você paga a fatura do cartão de crédito, a conta do supermercado, abastece o carro, paga o condomínio, para o aluguel… Com isso, você está pagando ao dono do posto de gasolina, ao dono do supermercado, ao dono do seu imóvel, ao condomínio do seu prédio…você está pagando a todo mundo, menos a você.

Ficamos sempre naquela expectativa de investir “o que sobrar no final do mês”. Mas todos os meses o dinheiro não sobra no final. Não temos a disciplina de pensar num orçamento e segui-lo à risca. Uma das formas de forçar essa disciplina é separar o dinheiro assim que ele entrar na sua conta – pelo menos 10%. Esse valor pode ser até mesmo 50 ou 100 reais.

Vamos supor que você ganhe 1000 reais por mês. Assim que esses 1000 reais caírem na sua conta, separe 100 e viva com os outros 900. Se vire nos 30 dias que faltam, mas pague sempre a você primeiro. Crie o hábito de não gastar tudo o que você ganha simplesmente separando desde o começo do mês um pouco desse valor.

A terceira dica é montar um fundo de emergência. Já falei várias vezes sobre isso. O fundo de emergência é uma reserva financeira. Ele é feito para imprevistos. E imprevistos são coisas que você realmente não estava prevendo, e não material escolar, IPTU, matrícula do seu filho – essas são coisas previsíveis e são uma questão de planeamento.

Um imprevisto pequeno pode ser uma peça do carro, um reparo na casa, um atraso de salário. Um imprevisto maior pode ser uma despesa médica ou até mesmo a perda de um emprego. A reserva financeira vai ajudar a cobrir esses gastos.

Assim, quando acontecer o imprevisto, você não vai precisar recorrer aos empréstimos, ou ao cartão de crédito (sem saber se poderá pagá-lo no próximo mês). Depois de ter anotado seus gastos, organizado sua vida financeira, estar pagando a si mesmo primeiro e estar acumulando dinheiro, você poderá ter um fundo de reserva para continuar com tranquilidade financeira mesmo durante os imprevistos.

Você pode recorrer a reserva para pagar aquela despesa pontual e, quando as coisas se regularizarem, você poderá repor o fundo. Essas foram três dicas muito simples de como gastar menos do que você ganha. Se você acha que não dá para gastar menos do que você ganha, saiba que sempre há espaço para fazer isso.

Eu tenho certeza que você poderá mudar sua vida financeira com essas três dicas. Você poderá viver com muito mais tranquilidade financeira. Esse era o objetivo desse artigo.

Mais em: https://twitter.com/eudetpmoficial

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *